.Línea...

.Línea...

.Texto meu, que a revista 'Casa e Jardim' publicou em 2011...

É incrível como a profissão pode ser definida desde criança sem você ao menos se dar conta.Hoje,"amadurecida" e lembrando de décadas atrás,consigo entender como os jardins dos meus avós se "enraizaram" em mim.Lá, em Santiago, no Chile,existiam vários jardins,várias surpresas,várias possibilidades de encantamento.Havia uma parreira enorme que ficava tão cheia de uvas,que meus avós as distribuíam em caixas para os vizinhos.Embaixo dessas mesma parreira,meu avô Nino pintava seus lindos quadros e eu acompanhava tudo com meus primeiros lápis de cor...Engraçado que eu não consigo imaginar outra forma de apresentar meus projetos de paisagismo que não seja através dos meus desenhos coloridos com traços infantis...Sim, o traço continua infantil.
A minha bisavó Palmira gostava de cuidar do Jardim das Rosas.Somente ela podava as flores.Esse jardim era separado por um murinho baixo e existia um portãozinho de ferro.Fechando os olhos ainda consigo sentir o cheiro.Lembro que ela colhia as flores no avental para fazer os arranjos da casa, que ficava perfumada.
Já a minha avó Carmen,que era literalmente um doce, gostava do pomar.Eu me acabava junto com ela de comer cerejas direto do pé.E a cachorra da casa, a vira-lata Póla,acompanhava a gente o tempo todo.Nesse pomar existia também um forno de barro, onde minha avó fazia pão.(...)
Os jardins da minha infância eram uma mistura do melhor que pode existir na vida:o gosto das frutas, o cheiro das flores, do pão e da tinta a óleo do meu avô,mais o som da música clássica saindo da vitrola velha(de preferência Carmen de Bizet em homenagem à minha avó com direito à regência do avô e dança da neta), a cachorra correndo, e a liberdade e amor que toda criança deveria ter...(...)
Um jardim tem de servir para ser "vivido" com seus cheiros,cores,texturas,sombras e surpresas.É nele que podem acontecer coisas simples ou incríveis que influenciarão a sua vida inteira.Os jardins da minha infância definiram quem eu sou.E eu gosto de quem eu sou...E ainda dizem que jardim é supérfluo...
Claudia Muñoz
(texto publicado na revista 'Casa e Jardim" em 2011)

sexta-feira, 4 de março de 2016

.O dia que fui achincalhada pela Nina Simone...

Foi em 1997...eu trabalhava meio período no Fitness Center que meu pai administrava no Hotel Meliá em São Paulo...Eu ficava na recepção e cuidava junto à equipe de massagistas e professores de tênis para que tudo estivesse pronto para a chegada dos hóspedes.O hotel estava em "polvorosa".
Diziam que uma cantora americana estava hospedada "tocando o terror" em todo o staff ...Já tinham me alertado...E eis que num final de tarde  em que eu estava apenas acompanhada da massagista Celeste...toca a campainha do elevador avisando que alguém chegava ao andar....
Quando a vi, pensei :"FUCK...deve ser ela"....Era uma senhora negra corpulenta vestida com o hobby e os chinelos do hotel...Armei-me do meu melhor sorriso e respirei fundo...."Hi,good afternoon...may I help you?"...Ela tinha um olhar carrancudo ....respondeu  rispidamente que queria usar a sauna e que não queria que ninguém a incomodasse...Você pode imaginar "ela"com sua voz grossa falando e gesticulando e eu toda confusa pois à medida que ela gesticulava o roupão abria revelando que ela estava totalmente nua...Eu lhe disse para ficar tranquila..ninguém entraria no Fitness enquanto ela estivesse ali...Naquela época eu tinha vinte e poucos anos e tinha a arrogância da juventude de achar que música boa, era a música que estava nas "hits parades"..eu escutava PET SHOP BOYS ....Por favor, não me julgue....EU NÃO TINHA IDEIA DE QUEM ERA A NINA SIMONE...mas aquela senhora me deu pena...ela era MUITO BRAVA...MUITO AMARGA...pensei no meu avô...que era carrancudo e bravo.Muitos tinham medo dele ,mas comigo ele era um AMOR...Pensei que aquela senhora deveria ter algum neto em algum lugar do mundo que a amasse por ela ser doce...
Depois de um tempo ela foi embora sem dizer NADA....sem olhar para trás...Quando a Celeste foi buscar as toalhas na sauna ela me disse com um olhar desesperado: "Aquela Senhora deixou um 'presente' no chuveiro"...
Muitos anos se passaram até eu "descobrir" a música da Nina Simone...fiquei apaixonada...Finalmente eu estava escutando música de "gente grande"...À medida que eu aprendia sobre a vida dela e sobre as suas atitudes, a imagem daquela senhora no fitness voltava à minha cabeça..."NÃO...SERÁ?" ...Numa rápida pesquisa na internet tive a confirmação...sim era ELA...ela veio para fazer um show no Bourbon Street e um gratuito no Parque Ibirapuera...
Ontem à noite assisti o documentário "What Happened, Miss Simone?" e tantas coisas ficaram claras para mim...Que gênio musical ela era...E uma ativista fervorosa em uma época que as mulheres não se manifestavam de nenhuma forma...Era tão corajosa na luta pela causa racial e ao mesmo tempo era espancada pelo marido...Na época em que ela veio ao Brasil,ela tomava remédios pois tinha sido diagnosticada com bipolaridade e era maniaca-depressiva...Miss Simone...se eu soubesse que era você...Quando você estivesse "falando" comigo naquela tarde, sua rispidez seria música para os meus ouvidos e eu só pensaria...." I`m feeling good"...

2 comentários:

  1. En la vida se aprende mucho.....vemos caras y no corazones, la vida es injusta nos enseña siempre y cuando pensamos que que podemos aplicar lo que se nos enseñò.....tenemos que partir.

    ResponderExcluir
  2. En la vida se aprende mucho.....vemos caras y no corazones, la vida es injusta nos enseña siempre y cuando pensamos que que podemos aplicar lo que se nos enseñò.....tenemos que partir.

    ResponderExcluir